Arrendar Casa

Rendas: descubra tudo o que muda em 2024

Janeiro 9, 2024 · 5:40 pm
Imagem de D3images no Freepik

O novo ano chegou com o aumento generalizado de preços em bens e serviços. As rendas não são exceção e, em 2024, vão ser atualizadas pelo coeficiente que segue o valor da inflação, ou seja 6,94%.

As chamadas “rendas antigas”, ou seja, os contratos de arrendamento celebrados antes de 1990, que não transitaram para o novo regime de arrendamento (NRAU), também vão ser atualizadas por este coeficiente definido anualmente pelo INE, tal como determinado pelo pacote Mais Habitação.

O Governo aprovou um mecanismo de compensação aos senhorios de contratos de arrendamento anteriores a 1990 “até ao limite de 1/15 do Valor Patrimonial Tributário (VPT) do locado”.

A compensação só vai ser atribuída no segundo semestre de 2024 e será equivalente à diferença entre o valor que o inquilino pode pagar, de acordo com a sua taxa de esforço, e o valor correspondente 1/15 do VPT da casa. Este mecanismo pretendeu responder às reivindicações dos proprietários devido aos anos de rendas “congeladas”.

Como calcular as atualizações de rendas

Para calcular o valor da renda atualizada basta multiplicar o valor da renda atual pelo valor do coeficiente. Tomemos por exemplo, uma renda de 800 euros.

800€ x 1,0694 = 855,52€

Neste caso, o aumento será de 55,52 euros mensais, perfazendo um total de 855,52€.

O coeficiente de atualização das rendas entrou em vigor a 1 de janeiro de 2024 e aplica-se a todos os contratos celebrados até dezembro de 2023. Contudo, a primeira atualização de rendas só pode ser pedida um ano após o início do contrato.

Para procederem à atualização das rendas, os proprietários devem avisar os inquilinos, no mínimo com 30 dias de antecedência, por carta registada com aviso de receção ou entregue em mão contra a assinatura do arrendatário. Na comunicação deve constar o novo valor da renda e a data de cobrança desta.

Compensação a senhorios atribuída no segundo semestre do ano

O Decreto-Lei n.º 132/2023, de 27 de dezembro, determina em que moldes os senhorios de contratos de arrendamento anteriores a 1990 podem pedir a compensação. Estes proprietários devem solicitar a sua atribuição ao Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, (IHRU), remetendo a informação relevante para a tomada de decisão.

Tomemos por exemplo um imóvel com o VPT de 90 mil euros. Apurado 1/ 15 deste VPT, ou seja, 6 mil euros, divide-se esse valor por 12 meses para chegar ao valor a que deveria corresponder a renda, neste caso, 500 euros. Se a renda em 2024, já depois da atualização de 6,94%, for menor do que 500 euros, o proprietário tem direito a pedir uma compensação. Esta vai corresponder à diferença entre o valor apurado e a renda cobrada.

A compensação será atribuída mensalmente e corresponde ao valor líquido, isto é, sem ser necessário fazer descontos para IRS ou Segurança Social.

Apoio extraordinário à renda atualizado

A atualização das rendas de 6,94% é o sexto maior aumento registado nos últimos 35 anos e o mais elevado dos últimos 30 anos.

Para mitigar o impacto desta subida nas rendas, o Governo aprovou a atualização automática do apoio extraordinário à renda acrescendo-lhe 4,94% do valor da renda mensal, sendo este reforço concedido mesmo que se ultrapasse o atual montante máximo do apoio (que são 200 euros).

Este apoio ao pagamento da renda é atribuído de forma automática, abrangendo famílias com rendimentos até ao 6.º escalão do IRS (cerca de 38.600 euros anuais) e com uma taxa de esforço com a renda superior a 35%

Por outro lado, os inquilinos que até agora não recebiam o apoio extraordinário à renda, mas que vejam a sua taxa de esforço superar os 35% com a atualização em 2024, poderão, por requerimento, pedir para ser abrangidos pela medida, desde que o contrato tenha sido feito até 15 de março de 2023.

O valor das rendas dedutível no IRS vai subir dos atuais 502 euros para 550 euros, sendo esta medida de aplicação universal, ou seja, dirigida a todos os inquilinos com contrato de arrendamento.

Habitação

Os bairros mais “cool” para viver em Lisboa

Descubra quais são!

Habitação

Regulamentação da garantia pública aprovada até setembro

Apoio à concessão de crédito a jovens até aos 35 anos tem de ser regulamentada nos próximos 60 dias.

Habitação

Senhorios com dificuldades para pedir compensação por rendas antigas

Candidaturas estão abertas desde o início do mês mas têm registado diversos constrangimentos.

Leia mais

Dicas

10 atividades ao ar livre perfeitas para as férias em família

Ideias originais para animar o seu verão!

Turismo

Proveitos totais do alojamento turístico subiram 12,2% até maio

Nos primeiros cinco meses do ano foram registados 11,3 milhões de hóspedes e 27,7 milhões de dormidas em Portugal.

Decoração

Como transformar um imóvel comum numa casa de luxo sem gastar muito

Saiba como criar um ambiente mais sofisticado em sua casa.

Dinheiro

Preço mediano da habitação sobe 5% no 1.º trimestre para 1.644 euros/m2

Os preços de habitação mais elevados são em Lisboa, em Cascais e Oeiras.