Créditos

Sabe quanto está a pagar a mais pelo crédito à habitação? E qual a percentagem de juros?

Agosto 17, 2023 · 5:17 pm
Imagem de Wirestock no Freepik

Os sucessivos aumentos das taxas de juro têm levado muitas famílias com créditos à habitação a verem as prestações aumentar a um ritmo difícil de suportar. O esforço financeiro está em máximos de mais de uma década.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgados hoje, a taxa de juro implícita dos contratos de crédito à habitação voltou a subir em julho, para 3,878%, o valor mais elevado desde abril de 2009. Face a junho, cresceu 22,9 pontos base.

Em julho deste ano, a prestação média subiu para 370 euros mensais, mais 9 euros do que no mês anterior. Quem tem crédito à habitação pagou, em julho, uma média de 106 euros a mais do que pagava no mesmo mês de 2022, ou seja, um acréscimo de 40,2% face ao ano passado.

Juros são mais de metade da prestação há 3 meses

No que respeita ao peso dos juros, em julho de 2022, estes representavam 17% da prestação paga pelas famílias ao banco. Este ano, e pelo terceiro mês consecutivo, os juros são mais de metade: representam 55% da mensalidade, cerca de 204 euros. Isto significa que apenas 45%, isto é, 166 euros, dizem respeito à amortização do capital em dívida. O capital médio em dívida também cresceu 259 euros face ao mês anterior, fixando-se nos 63.555 euros.

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação desceu cinco euros em julho, para 604 euros, o que significa um aumento de 42,1% em termos homólogos. Já o montante médio em dívida foi de 123.098 euros, mais 528 euros do que em junho.

A taxa de juro implícita nos créditos à habitação é um indicador que pretende refletir o esforço financeiro das famílias na totalidade dos créditos concedidos para várias finalidades relacionadas com habitação (construção, aquisição e obras de reabilitação).

Fonte:Redação/ Lusa

Dinheiro

Preço mediano da habitação sobe 5% no 1.º trimestre para 1.644 euros/m2

Os preços de habitação mais elevados são em Lisboa, em Cascais e Oeiras.

Créditos

Reembolsos antecipados e renegociações disparam em 2023

As renegociações no crédito à habitação resultantes de alterações contratuais subiram 271,6%, avança o Banco de Portugal.

Dinheiro

Diminuíram as transações de alojamentos no arranque do ano

Apesar da diminuição nas transações de alojamentos, o Índice de Preços da Habitação registou um crescimento de 7%.

Leia mais

Dicas

10 atividades ao ar livre perfeitas para as férias em família

Ideias originais para animar o seu verão!

Turismo

Proveitos totais do alojamento turístico subiram 12,2% até maio

Nos primeiros cinco meses do ano foram registados 11,3 milhões de hóspedes e 27,7 milhões de dormidas em Portugal.

Decoração

Como transformar um imóvel comum numa casa de luxo sem gastar muito

Saiba como criar um ambiente mais sofisticado em sua casa.

Dinheiro

Preço mediano da habitação sobe 5% no 1.º trimestre para 1.644 euros/m2

Os preços de habitação mais elevados são em Lisboa, em Cascais e Oeiras.