Habitação

Reabilitação da zona histórica de Castelo Branco vai demorar mais de dois mandatos

Junho 21, 2024 · 8:44 am
Foto do site da Câmara Municipal de Castelo Branco

O programa de Operação de Reabilitação Urbana (ORU) da zona histórica de Castelo Branco não será realizado em um ou dois mandatos autárquicos, afirmou esta quinta-feira o presidente da Câmara Municipal Leopoldo Rodrigues.

“É com um misto de emoção e de desafio que hoje aqui estamos para apresentar este projeto iniciado depois de termos tomado posse, em 2021”, afirmou Leopoldo Rodrigues, durante a apresentação pública do ORU.

Segundo o autarca, trata-se de um projeto que “não se realizará em um ou dois mandatos autárquicos”, uma vez que “os desafios são muitos”.

Contudo, Leopoldo Rodrigues sublinhou que o caminho para a reabilitação da zona histórica da cidade de Castelo Branco “está planeado, definido e será executado”.

Trata-se de um grande desafio para toda a comunidade albicastrense que tem como principais objetivos a reabilitação do tecido urbano e dos edifícios situados na zona histórica, promover a valorização do património e fomentar a revitalização urbana.

Programa em cinco áreas de intervenção

Para o efeito, o ORU está dividido em cinco áreas de intervenção divididas em ações de muito curto prazo (um ano), curto prazo (dois anos) e médio prazo (cinco anos).

O trabalho já se iniciou com a definição dos programas de intervenção e respetivos cadernos de encargos, levantamento arquitetónico e cadastral dos quarteirões prioritários, recolha e caracterização tipológica dos imóveis pertencentes ao município e respetiva elaboração de projetos de arquitetura dos mesmos.

O município já tem algumas obras em curso, nomeadamente em habitações para arrendamento acessível, sede da associação académica, futuro edifício do Tribunal Administrativo do Centro e Casa-Museu António Salvado.

Estão também previstas intervenções de conservação na torre do relógio, igreja de Santo António, requalificação de casas devolutas e de espaços públicos e criação de bolsas de estacionamento.

Segundo o presidente do município, trata-se de um projeto que é “um enorme desafio”.

“O objetivo é reabilitar uma zona extensa e que carece de uma intervenção física e social que envolve encargos financeiros de enorme dimensão”, concluiu.

Para já, ainda não é possível falar em valores monetários, uma vez que se está ainda numa fase de levantamentos praticamente, porta a porta.

Fonte: Lusa

Dinheiro

Preço mediano da habitação sobe 5% no 1.º trimestre para 1.644 euros/m2

Os preços de habitação mais elevados são em Lisboa, em Cascais e Oeiras.

Habitação

Os bairros mais “cool” para viver em Lisboa

Descubra quais são!

Habitação

Lisboa facilita arrendamento a pessoas com mobilidade condicionada

Quase 70% das residências existentes em Lisboa não têm entrada acessível a cadeira de rodas.

Leia mais

Dicas

10 atividades ao ar livre perfeitas para as férias em família

Ideias originais para animar o seu verão!

Turismo

Proveitos totais do alojamento turístico subiram 12,2% até maio

Nos primeiros cinco meses do ano foram registados 11,3 milhões de hóspedes e 27,7 milhões de dormidas em Portugal.

Decoração

Como transformar um imóvel comum numa casa de luxo sem gastar muito

Saiba como criar um ambiente mais sofisticado em sua casa.

Dinheiro

Preço mediano da habitação sobe 5% no 1.º trimestre para 1.644 euros/m2

Os preços de habitação mais elevados são em Lisboa, em Cascais e Oeiras.