Investimento

Projeção do BdP aponta para redução no investimento habitacional nos próximos anos

Dezembro 19, 2023 · 12:11 pm
Imagem de Pierre-Alain DEGARDIN por Pixabay


De acordo com o Banco de Portugal, o investimento no segmento da habitação deverá ser mais fraco em Portugal nos próximos anos, nomeadamente até 2026.


A perspetiva é partilhada no boletim económico de dezembro, publicado a 15 de dezembro, no qual se refere que «a fraqueza da FBCF (Formação Bruta de Capital Fixo) em habitação deverá ser mais prolongada», uma vez que «a deterioração da acessibilidade à habitação via crédito reduz a procura e cria expetativas de moderação dos preços de venda, o que penaliza a rendibilidade e o investimento em nova construção».


O regulador calcula que o investimento em habitação passe por dois anos mais difíceis, de quebra ou recessão da atividade, nomeadamente 2023 e 2024, recuperando depois em 2025 e 2026.


Este ano, o investimento vem sendo mais condicionado «pelas taxas de juro mais elevadas e pela estagnação da atividade interna e externa». No entanto, até 2026, o Banco de Portugal antecipa que o investimento no nosso país recupere, e antecipa uma melhoria no contexto macrofinanceiro, assim como «maiores entradas de fundos da União Europeia».


Em particular o crescimento da componente empresarial«deverá beneficiar da recuperação da procura global e de necessidades crescentes de investimento para efetivar a transição digital e energética dos processos produtivos, num contexto de desvanecimento gradual dos efeitos da restritividade da política monetária», pode ainda ler-se.


Economia deverá crescer 2,1% em 2023


O Banco de Portugal prevê que a economia portuguesa cresça cerca de 2,1% este ano de 2023, e deverá abrandar para 1,2% em 2024. Uma recuperação deverá acontecer em 2025, para 2,2%, e de 2% em 2026.


No segundo e terceiro trimestres deste ano, a economia portuguesa estagnou, e deverá manter um crescimento baixo no último trimestre do ano. «A evolução recente da atividade reflete a fraqueza da procura externa, os efeitos cumulativos da inflação e a maior restritividade da política monetária, que se transmitiu às condições de financiamento dos agentes económicos», segundo o BdP. Por outro lado, «a subida de taxas de juro tem um impacto negativo mais rápido no setor industrial, com os serviços a evidenciarem maior resiliência».


No próximo ano, «o crescimento trimestral recuperará de forma muito gradual ao longo de 2024. A recuperação beneficia da aceleração da procura externa, do impacto da redução da inflação sobre o rendimento real das famílias — não obstante o aumento esperado das taxas de juro reais — e do impulso dos fundos europeus sobre o investimento».


A instituição prevê também que a inflação se mantenha em trajetória descendente, com a variação anual do IHPC a reduzir-se de 5,3% em 2023 para 2,9% em 2024 e 2% entre 2025 e 2026. Os dois indicadores são revistos em baixa face ao boletim económico de outubro.


Profissionais

8 Dicas para ter sucesso numa negociação imobiliária

Descubra estratégias infalíveis para melhorar a sua técnica.

Profissionais

Imobiliário representa mais de metade do investimento direto estrangeiro

Em 2023, as transações de investimento direto estrangeiro em Portugal totalizaram 6,8 mil milhões de euros.

Construção

Setor da construção acorda nova tabela salarial para 2024

O acordo de revisão do Contrato Coletivo de Trabalho do setor prevê retribuições mínimas entre 820 e 1.350 euros.

Leia mais

Profissionais

8 Dicas para ter sucesso numa negociação imobiliária

Descubra estratégias infalíveis para melhorar a sua técnica.

Profissionais

Imobiliário representa mais de metade do investimento direto estrangeiro

Em 2023, as transações de investimento direto estrangeiro em Portugal totalizaram 6,8 mil milhões de euros.

Construção

Setor da construção acorda nova tabela salarial para 2024

O acordo de revisão do Contrato Coletivo de Trabalho do setor prevê retribuições mínimas entre 820 e 1.350 euros.

Gastronomia

Restaurantes portugueses recebem novas estrelas Michelin

O Antiqvvm, no Porto, passou a ter duas estrelas e quatro novos restaurantes receberam a distinção.