Habitação

Novos apoios ao crédito à habitação: sabe quanto fica a pagar?

Setembro 21, 2023 · 4:40 pm
Foto de Reinaldo Photography na Unsplash

O Conselho de Ministros aprovou esta quinta-feira três medidas para apoiar o crédito à habitação e diminuir o peso deste nos orçamentos das famílias.

Uma das medidas garante que, durante dois anos, a taxa de juro das prestações bancárias não ultrapassa 70% do indexante (Euribor), ou seja, aplica uma redução de 30%. Funciona como uma espécie de moratória e estará disponível a partir de novembro.

Outra das medidas alarga de 720 para 800 euros o apoio à bonificação dos juros do crédito à habitação. O alargamento da bonificação de juros para as famílias mais sobrecarregadas pela subida das taxas de juro e que estejam nos primeiros seis escalões do IRS. Vai ser estendida até 2024 e implicará a bonificação do valor da taxa que exceda 3%, o que na prática alarga os contratos elegíveis.

“A medida poderá abranger cerca de 200 mil famílias, é a estimativa que dispomos sobre isto”, afirmou o ministro das Finanças, Fernando Medina, na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros.

O Governo aprovou ainda a manutenção da suspensão da comissão por reembolso antecipado do empréstimo da casa.


  1. Redução de 30% da taxa de juro por dois anos

Quem tem acesso?



  • Para se poder beneficiar é necessário ter um crédito para compra de habitação própria e permanente, contratados a taxa de juro variável ou mista que se encontrem num período de variável.

  • Abrange todos os contratos renegociados recentemente ou alvo de transferência de um banco para outro.

  • O prazo para a amortização do empréstimo tem de ser igual superior a cinco anos e ter sido contratado até 15 de março de 2023.

  • Não há limite de montante nem qualquer restrição em função do escalão de IRS.


Como ter acesso?



  • O pedido para a fixação da prestação do crédito da casa durante dois anos pode ser feito pelos clientes junto dos bancos até ao final do primeiro trimestre de 2024.

  • As entidades bancárias têm 15 dias para satisfazer o pedido. Já o cliente terá depois 30 dias para decidir se aceita e quer ser abrangido pela medida.


Como funciona o mecanismo?



  • A redução de 30% no indexante corresponde, no caso da Euribor a 6 meses, aproximadamente, a cerca de 70 euros mensais por cada 100 mil euros de empréstimo, para um prazo de 30 anos. Em prazos mais curtos, a redução será mais pequena.

  • Durante dois anos, a prestação será fixa, ou seja, não vai subir, mesmo que a Euribor aumente. Caso o indexante desça abaixo do nível de referência usado na fixação (os referidos 70% da média da Euribor a 6 meses), a prestação pode baixar. Contudo, este cenário de descida é muito improvável.


Qual a duração?



  • Após estes dois anos, nos dois anos seguintes, a prestação assume o seu valor ‘normal’ (com o indexante da altura totalmente refletido), mas não começa logo a compensar o que não pagou.

  • Só terminada esta fase de quatro anos é que a pessoa/ família vai pagar em anos restantes do empréstimo o valor não pago enquanto beneficiou da referida redução. Em suma, o cliente tem dois anos de moratória e outros dois anos de carência sobre os juros descontados.


2. Alargamento da bonificação dos juros

Quem pode beneficiar



  • Todas as pessoas/ famílias com crédito à habitação e rendimentos até ao 6.º escalão de IRS (38.623 euros anuais);

  • Famílias com taxa de esforço igual ou superior a 35% do rendimento.

  • Montante máximo do empréstimo de 250 mil euros, excluindo os que tenham poupanças superiores a 29,8 mil euros.


Como calcular o apoio?



  • A bonificação é calculada sobre o valor do indexante acima dos 3%.

  • A compensação será de 100% do diferencial para quem tiver uma taxa de esforço superior a 50% e de 75% para taxas de esforço entre 35% e os 50%.

  • O limite máximo anual por família será de 800 euros e passa a haver um mínimo mensal de 10 euros.

  • Para simular esta bonificação, tomemos como exemplo um crédito de 100 mil euros, a 30 anos, com um spread de 1%, contratado a uma taxa de juro inicial de 0,5%, aplicado a um agregado com um rendimento de 3.º escalão, e que tenha uma taxa de esforço de 37%. Atualmente, a bonificação é de 26,9 euros por mês; com o novo modelo, a bonificação passará a ser de 58,1 euros.


Como solicitar a bonificação?



  • Basta pedir ao seu banco que confirme os critérios de elegibilidade. Este faz as contas e o Estado credita o diferencial na conta dos clientes.


Quanto tempo dura



  • Esta bonificação vigora até ao final de 2024.


3. Suspensão da comissão por reembolso antecipado até fim de 2024

A suspensão da comissão por reembolso antecipado no crédito à habitação vai ser prolongada até ao fim de 2024.

“O reembolso antecipado vai vigorar até ao final de 2024, com a possibilidade naturalmente de ser renovado ou até integrado a título definitivo na legislação”, esclareceu o ministro das Finanças, Fernando Medina.

A comissão pelo reembolso antecipado no crédito à habitação era de cerca de 0,5% do capital amortizado, o que representava “um custo muito grande para as famílias e limitava muito as amortizações antecipadas”. Face à medida avançada em 2022, assistiu-se a um grande aumento das amortizações antecipadas parciais e totais do crédito à habitação.

Créditos

Sabe quanto pagou de juros no mês passado?

Perceba quanto amortizou no empréstimo da casa.

Habitação

AM de Lisboa aprova venda de terreno à junta de Benfica para habitação acessível

Benfica vai construir 50 novos fogos de habitação acessível, no âmbito de uma candidatura ao PRR.

Habitação

Casas de luxo: Portugal entre os 10 principais destinos para investimento internacional

Descubra quais os destinos preferidos dos investidores.

Leia mais

Portugal regista 2ª maior subida na produção na construção na UE

Os principais avanços registaram-se em Espanha (8,3%), Portugal (4,4%) e República Checa (3,7%).

Habitação

Câmara de Lisboa propõe “discriminação positiva” de residentes no acesso à renda acessível

Medida visa beneficiar residentes das freguesias sob maior pressão urbanística.

Dinheiro

Preços das casas em Portugal aumentaram 111% desde 2015

O diretor do FMI para a Europa considera que correção dos preços das casas não será repentina.

Impostos

IRS: o que muda nos novos escalões

O Governo alargou o alívio fiscal até ao 8.º escalão.