Habitação

Marcelo promulga simplificação dos licenciamentos

Agosto 21, 2023 · 1:44 pm
Imagem de Wirestock no Freepik

O Presidente da república, Marcelo Rebelo de Sousa, vetou o pacote Mais Habitação, mas promulgou o decreto do Governo que reforma e simplifica os licenciamentos relacionados com a habitação. Contudo, apesar da aprovação, alertou que vai estar atento à “compatibilização” com a segurança e a qualidade dos edifícios.

Numa mensagem publicada hoje na página oficial da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa dá luz verde ao Governo para “simplificar, significativamente, os procedimentos urbanísticos e de ordenamento do território”, conforme previsto pelo executivo no âmbito do programa Mais Habitação.

Porém, avisou que “não deixará de ter presente, na futura apreciação do decreto-lei autorizado, a necessidade de compatibilização entre a simplificação urbanística e outros valores a preservar, como é a segurança e qualidade das edificações”.

PR defende unificação de legislação

O Presidente da República faz uma análise sobre as principais medidas do decreto em causa, 81/XV, considerando que confirma riscos que disse ter apontado anteriormente, resumindo, no final da mensagem a Santos Silva, que “em termos simples, não é fácil de ver de onde virá a prometida oferta de casa para habitação com eficácia e rapidez”.

O diploma, considerou, “é um exemplo de como um mau arranque de resposta a uma carência que o tempo tornou dramática, crucial e muito urgente pode marcá-la negativamente”.

“Isto é, tudo somado, nem no arrendamento forçado, nem no alojamento local, nem no envolvimento do Estado, nem no seu apoio às cooperativas, nem nos meios concretos e prazos de atuação, nem na total ausência de acordo de regime ou de mínimo consenso partidário, o presente diploma é suficientemente credível quanto à sua execução a curto prazo, e, por isso, mobilizador para o desafio a enfrentar por todos os seus imprescindíveis protagonistas – públicos, privados, sociais, e, sobretudo, portugueses em geral”, criticou.

PR defende unificação de legislação

Ao mesmo tempo, será vigilante quanto à “responsabilização dos intervenientes no processo de construção e o importante papel da Administração Local em matéria de habitação e de ordenamento do território”.

O Presidente da República diz ainda esperar que o Governo, “se possível”, aproveite para “ponderar a reunião num único diploma de toda a legislação dispersa (imensa e, em alguns casos, contraditória)”, sugerindo até algo que “aponte para um Código da Edificação”.

Marcelo Rebelo de Sousa considera que esse passo eliminaria “contradições e normas obsoletas” e melhoraria “a acessibilidade da legislação do setor”.

Com a legislação agora promulgada, o Governo propõe eliminar licenças, autorizações, atos e procedimentos “dispensáveis ou redundantes” em matéria de urbanismo, ordenamento do território e indústria.

No debate realizado em 19 de maio, na Assembleia da República, o secretário de Estado da Digitalização e da Modernização Administrativa, Mário Campolargo, sublinhou que “dar resposta aos desafios da habitação” passa também por esta “medida Simplex”, que pretende simplificar, uniformizar e desburocratizar os licenciamentos.

Mais Habitação aprovado com voto socialista

O Presidente da República vetou as restantes propostas que constam do programa Mais Habitação, aprovado no parlamento a 19 de julho, apenas com o voto favorável do PS. PSD, Chega, Iniciativa Liberal, PCP e BE votaram contra, enquanto Livre e PAN optaram por se abster.

O Presidente da República expressou um “sereno juízo negativo” e criticou a ausência de consenso sobre o Mais Habitação.

As medidas mais polémicas e contestadas do programa são a suspensão do registo de novos alojamentos fora dos territórios de baixa densidade e uma contribuição extraordinária sobre este negócio, e também o arrendamento forçado de casas devolutas há mais de dois anos.

O pacote do Governo prevê igualmente uma isenção da tributação de mais-valias aos proprietários que vendam casas ao Estado, o fim de novos vistos ‘gold’, o aumento da dedução por dependente no âmbito do IMI Familiar, alterações à taxa autónoma dos rendimentos prediais e isenções de impostos para proprietários que retirem as casas do alojamento local até ao fim de 2024.

Depois de o diploma seguir para o Palácio de Belém, era muita a expectativa em torno do que faria Marcelo Rebelo de Sousa, que decidiu não enviar o diploma para o Tribunal Constitucional.

Na mensagem hoje publicada no ‘site’ da Presidência, o chefe de Estado reconhece “a emergência da crise habitacional, que afeta, sobretudo, jovens e famílias mais vulneráveis, e começa a afetar a classe média”, bem como “a necessidade do aumento da oferta de imóveis para habitação”.

Fonte: Lusa

Habitação

Ministro diz que habitação não deve ser arma de arremesso político

Miguel Pinto Luz agradeceu à oposição abertura ao diálogo.

Construção

Aeroporto: Governo segue recomendação da CTI e escolhe Alcochete

O Governo aprovou ainda a conclusão dos estudos para uma terceira travessia do Tejo e da ligação ferroviária de alta velocidade entre Lisboa e Madrid.

Habitação

As 30 medidas do Governo para a Habitação

O Governo anunciou a Nova Estratégia para a Habitação.

Leia mais

Decoração

Decoração inspirada nas Eras de Taylor Swift

A febre Taylor Swift pode inspirar a decoração de sua casa!

Habitação

Governo aprova garantia pública para apoiar jovens na compra de casa

Garantia pública de até 15% abrange jovens que ganhem até 5800 euros por mês e comprem casa no máximo de 450 mil euros

Impostos

Isenção IMT e Imposto do Selo chega a todos jovens independente do rendimento

Jovens até aos 35 anos terão isenção total de IMT na compra de casas até 316.772 euros

Habitação

Câmara de Lisboa aprova consulta pública para alteração ao plano do Vale de Santo António

O Plano de Urbanização do Vale de Santo António, com a previsão de construção de 2.400 fogos, vai ser submetido a discussão pública.