Profissionais

IMPIC identifica escassez de recursos humanos como “ponto fraco”

Janeiro 16, 2024 · 7:00 am
Imagem de Lifeforstock no Freepik

O Instituto dos Mercados Públicos do Imobiliário e da Construção tem 118 trabalhadores, longe dos 180 previstos, e a situação – que o IMPIC classifica como “ponto fraco” – deverá agravar-se com as três saídas para a reforma previstas para 2024.

Desde 2022 que o número de postos de trabalho aprovados pela tutela para o IMPIC aponta para os 180 (são mais 10 do que os aprovados para os quatro anos anteriores), mas o número real é inferior e tem vindo a diminuir nos últimos anos, com o Plano de Atividades para 2024 do instituto liderado por Fernando Batista a identificar a “escassez de recursos humanos em algumas áreas especializadas”, como um dos “pontos fracos”.

Carência “generalizada” de trabalhadores

Em resposta à Lusa, o presidente do Conselho Diretivo do IMPIC, Fernando Batista, refere que a carência de recursos humanos é “generalizada”, notando que a idade média dos trabalhadores ronda atualmente os 53 anos.

“A carência é generalizada, mas podemos referir as áreas transversais do IMPIC, nomeadamente a área de Aprovisionamento, Recursos Humanos, Financeira e de Informática, e as áreas mais específicas nas suas atribuições, nomeadamente a área de Inspeção, Qualificação e Licenciamento, sancionamento e Gestão do Portal Base”, afirmou o responsável.

Segundo o Plano de Atividades para 2024, o mapa de pessoal contempla, por exemplo, 82 lugares de técnico superior, sendo 59 as ocupadas, enquanto das 22 vagas na inspeção estão ocupadas 14.

Um maior fluxo de saídas do que de entradas ajuda a explicar esta situação, sendo que se tem registado também uma resposta inferior ao número de vagas disponíveis nos concursos abertos nestes últimos anos.

Concursos não atraem candidatos

Ao longo dos últimos anos, foram realizadas, “por diversas vezes”, aberturas de procedimentos de oferta de emprego público na Bolsa de Emprego Público (BEP) visando o recrutamento através de mobilidade, precisou Fernando Batista, tendo havido “um escasso número de candidaturas e frequentemente com subsequente desistência dos potencias candidatos no decurso do procedimento”, o que fez com que “na maioria dos casos as ofertas de emprego público ficaram desertas”.

O presidente do IMPIC notou ainda que, para fazer face às necessidades de recursos humanos, o instituto abriu procedimentos concursais dirigidos a trabalhadores com vínculo de emprego público, nos anos de 2016, 2017 e também em 2021.

“Não obstante a abertura dos procedimentos concursais em 2016 e 2017, constata-se que a maioria dos trabalhadores que ingressaram no âmbito destes procedimentos concursais já não se encontram atualmente no IMPIC, I.P., por vários motivos, nomeadamente mobilidade para outros serviços ou consolidação nas respetivas carreiras com outras entidades”, acrescentou.

Relativamente aos concursos abertos em 2021, num total de sete destes procedimentos concursais, “a maioria ficou deserta, tendo apenas sido recrutados três trabalhadores”.

Novo concurso vai abrir em breve

De forma a mitigar a carência de recursos humanos, o IMPIC pretende continuar a apostar no recrutamento de trabalhadores por mobilidade, estando prevista a abertura, em breve, de dois procedimentos concursais externos para o recrutamento de duas pessoas.

Dos 118 trabalhadores atualmente existentes (número que incluí os três elementos do Conselho Diretivo) prevê-se a saída de três para a reforma, ao longo de 2024, a que se somarão outras três em 2025, segundo o Plano de Atividades do IMPIC para 2024.

A missão do IMPIC passa por regular e fiscalizar o setor da construção e do imobiliário, bem como por dinamizar, supervisionar e regulamentar as atividades desenvolvidas neste setor ou ainda pela regulação dos contratos públicos.

Fonte: Lusa

Construção

Reabilitação urbana cresce 2,7% em janeiro

A atividade dos empresários do setor cresceu em janeiro face ao ano anterior.

Construção

Vanguard investe 50 milhões em fábrica de casas em madeira

A nova unidade de produção da fábrica da Kōzōwood Industries terá capacidade para construir estruturas em madeira para três casas por dia.

Profissionais

8 Dicas para ter sucesso numa negociação imobiliária

Descubra estratégias infalíveis para melhorar a sua técnica.

Leia mais

Construção

Reabilitação urbana cresce 2,7% em janeiro

A atividade dos empresários do setor cresceu em janeiro face ao ano anterior.

Decoração

O que nunca fazer em decoração: erros e opções de que te vais arrepender

Como fazer da nossa casa um cenário inspirador!

Créditos

Prestação da casa desce 4 euros para créditos com Euribor a 3 e 6 meses

Redução acontece pelo segundo mês consecutivo.

Construção

Vanguard investe 50 milhões em fábrica de casas em madeira

A nova unidade de produção da fábrica da Kōzōwood Industries terá capacidade para construir estruturas em madeira para três casas por dia.