Habitação

Governo aprova estratégia de longo prazo para combate à Pobreza Energética

Novembro 24, 2023 · 10:04 am
Foto de Frank Eiffert na Unsplash

O Governo aprovou a Estratégia Nacional de Longo Prazo para o Combate à Pobreza Energética 2023-2050 e a criação do Observatório Nacional da Pobreza Energética, segundo o comunicado do Conselho de Ministros, divulgado após a reunião de ontem.

“Foi aprovada a resolução que estabelece a Estratégia Nacional de Longo Prazo para o Combate à Pobreza Energética 2023-2050, que tem como principal meta erradicar a pobreza energética em Portugal até 2050, protegendo os consumidores vulneráveis e integrando-os de forma ativa na transição energética e climática, que se pretende justa, democrática e coesa”, lê-se no comunicado.

4 Eixos para promover sustentabilidade

Segundo a mesma nota, aquela estratégia assenta em quatro eixos estratégicos que visam promover a sustentabilidade energética e ambiental da habitação, o acesso universal a serviços energéticos essenciais, a ação territorial integrada e o conhecimento e a atuação informada.

O Conselho de Ministros aprovou ainda a criação do Observatório Nacional da Pobreza Energética, “com a missão de acompanhar a evolução da pobreza energética a nível nacional, perfazendo assim um dos marcos previstos na reprogramação do Plano de Recuperação e Resiliência”.

O Ministério do Ambiente e da Ação Climática lembrou que esta estratégia “esteve em consulta pública entre 14 de abril e 15 de maio de 2021 e entre 20 de janeiro e 03 de março de 2023”.

Mais de 600 mil em pobreza energética severa

“Estima-se que, em Portugal, entre 1,8 a 3 milhões de pessoas estejam em situação de pobreza energética, das quais entre 609 mil e 660 mil se encontram em pobreza energética severa”, destacou a tutela.

As metas previstas na estratégia pretendem “reduzir a população a viver em agregados sem capacidade para manter a casa adequadamente aquecida de 17,5%, em 2020, para menos de 1%, em 2050”, bem como “a população a viver em habitações não confortavelmente frescas durante o verão de 35,7%, em 2012, para menos de 5%, em 2050”. ​​​​​​​

A estratégia passa ainda por diminuir “a população a viver em habitações com problemas de infiltrações, humidade ou elementos apodrecidos de 25,2%, em 2020, para menos de 5%, em 2050” e “eliminar as situações em que a despesa com energia representa mais de 10% do total de rendimentos dos agregados familiares”.

Recorde-se que o programa Vale Eficiência, cujas candidaturas estão abertas desde 20 de novembro, tem uma dotação de 104 milhões de euros e prevê a entrega de 100 mil vales de eficiência energética até 2025 a famílias economicamente vulneráveis.

Fonte: Lusa

Habitação

IHRU apresenta plano de ação para reabilitação do património

O instituto tem como meta fazer obras de reabilitação em mais de 5.800 habitações até 2028.

Habitação

100 mil vales de eficiência energética podem ser entregues até 2025

Governo triplica o valor dos Vales de Eficiência e alarga apoio a arrendatários. Candidaturas abrem a 20 de novembro.

Decoração

Reinventar espaços: remodelar a casa de banho para valorizar a sua casa

Saiba como remodelar a sua casa de banho de forma económica de forma a valorizar a sua casa no mercado imobiliário.

Leia mais

Construção

Reabilitação urbana cresce 2,7% em janeiro

A atividade dos empresários do setor cresceu em janeiro face ao ano anterior.

Decoração

O que nunca fazer em decoração: erros e opções de que te vais arrepender

Como fazer da nossa casa um cenário inspirador!

Créditos

Prestação da casa desce 4 euros para créditos com Euribor a 3 e 6 meses

Redução acontece pelo segundo mês consecutivo.

Construção

Vanguard investe 50 milhões em fábrica de casas em madeira

A nova unidade de produção da fábrica da Kōzōwood Industries terá capacidade para construir estruturas em madeira para três casas por dia.