Créditos

Crédito à habitação volta a diminuir em agosto

Setembro 28, 2023 · 9:37 am
Foto de KOBU Agency na Unsplash

Os créditos à habitação continuaram a desacelerar em agosto, com o respetivo ‘stock’ a somar 99.200 milhões de euros, recuando 100 milhões face a julho e 0,4% em termos homólogos, divulgou ontem o Banco de Portugal (BdP).

Segundo dados divulgados pelo banco central, relativamente a agosto de 2022, os empréstimos com esta finalidade decresceram 0,4%, “refletindo o aumento das amortizações antecipadas e o abrandamento na procura de crédito à habitação”.

Crédito ao consumo volta a crescer

Quanto aos empréstimos ao consumo, atingiram 20.900 milhões de euros no final de agosto, tal como em julho, tendo registado um crescimento de 3,6% em relação a agosto de 2022 (4,0% em julho).

No que se refere ao ‘stock’ de depósitos de particulares nos bancos residentes, totalizava 174.800 milhões de euros no final de agosto, menos 1.400 milhões do que em julho.

De acordo com o BdP, “foram os depósitos à ordem que contribuíram mais para esta evolução, apresentando, em agosto, uma redução de 2.300 milhões de euros”, enquanto os depósitos a prazo (que incluem os depósitos com prazo acordado e os depósitos com pré-aviso) aumentaram 800 milhões de euros.

Relativamente a agosto de 2022, os depósitos de particulares nos bancos residentes decresceram 3,5%.

Menos 8.700 milhões de euros à ordem

No final de agosto de 2023, os depósitos à ordem e os depósitos a prazo representavam, respetivamente, 47% e 53% do montante total de depósitos (o que compara com 49% e 51%, no final de agosto de 2022).

“Desde o início do ano, os depósitos à ordem constituídos pelos particulares reduziram-se 8.700 milhões de euros”, refere o BdP, notando que “esta redução contrasta com o aumento observado no mesmo período do ano anterior (6.000 milhões de euros)”.

Já os depósitos a prazo aumentaram 1.100 milhões de euros, valor inferior aos 2.600 milhões de euros do mesmo período de 2022.

Por sua vez, o ‘stock’ de depósitos das empresas nos bancos residentes totalizava, no final de agosto, 66.000 milhões de euros, mais 1.900 milhões do que em julho. Em relação a agosto de 2022, estes depósitos cresceram 2,2% (1,7% em julho).

Créditos a empresas descem exceto no setor imobiliário

Relativamente ao montante de empréstimos concedidos pelos bancos às empresas, ascendeu a 73.200 milhões de euros no final de agosto de 2023, menos 500 milhões do que em julho.

Face a agosto de 2022, o montante destes empréstimos decresceu 2,7%, uma evolução semelhante à observada em julho (-2,6%).

Por dimensão das empresas, o BdP detalha que “as microempresas voltaram a registar uma taxa de variação anual positiva, enquanto as restantes tipologias (pequenas, médias e grandes empresas) apresentaram taxas negativas, com uma maior expressão nas grandes empresas (-8,4%)”.

Por setor de atividade, as indústrias transformadoras, o alojamento e restauração e a eletricidade, gás e água foram os setores que mais contribuíram para o decréscimo em relação a 2022, enquanto os setores das imobiliárias e da consultoria contrariaram esta evolução.

Fonte: Lusa

Dinheiro

Avaliação das casas atinge novo máximo

O valor mediano de avaliação bancária na habitação foi de 1.518 euros por metro quadrado, em junho, mais oito euros que em maio, diz o INE.

Dinheiro

Avaliação bancária na habitação sobe para 1.510 euros por metro quadrado

O valor mediano de avaliação bancária na habitação em maio foi de mais 9,4% em termos homólogos.

Dinheiro

Avaliação bancária na habitação sobe 10% em abril

O valor mediano de avaliação bancária na habitação foi 1.491 euros por metro quadrado em abril.

Leia mais

Dicas

10 atividades ao ar livre perfeitas para as férias em família

Ideias originais para animar o seu verão!

Turismo

Proveitos totais do alojamento turístico subiram 12,2% até maio

Nos primeiros cinco meses do ano foram registados 11,3 milhões de hóspedes e 27,7 milhões de dormidas em Portugal.

Decoração

Como transformar um imóvel comum numa casa de luxo sem gastar muito

Saiba como criar um ambiente mais sofisticado em sua casa.

Dinheiro

Preço mediano da habitação sobe 5% no 1.º trimestre para 1.644 euros/m2

Os preços de habitação mais elevados são em Lisboa, em Cascais e Oeiras.