Créditos

Bancos só aceitaram um terço dos pedidos de fixação da prestação

Abril 18, 2024 · 9:39 am
Foto de mariel reiser na Unsplash

A medida de fixação da prestação mensal abrangia 8.000 créditos à habitação até fevereiro, o correspondente a 0,8% dos empréstimos elegíveis, segundo o Relatório de Supervisão Comportamental do Banco de Portugal (BdP) ontem divulgado.

Segundo a informação, houve 25.879 pedidos, mas desses a fixação da prestação só avançou em 8.636, o correspondente a 0,8% dos contratos que poderiam aceder a esta medida (cerca de um milhão).

Maioria dos clientes não confirma pedido

Segundo o BdP, o principal motivo para o processo não avançar em 17.243 créditos foi os clientes não terem confirmado o pedido (88% dos que não avançaram foi por falta de confirmação pelo cliente). Ou seja, apesar de terem feito o pedido inicial ao banco os clientes não confirmavam após terem recebido o plano de reembolso do crédito (quanto ficariam a pagar e quanto pagariam após passarem os dois anos).

O segundo motivo para não avançarem os pedidos foi pelo facto de os créditos estarem em PARI – Plano de Ação para o Risco de Incumprimento (a lei previa que um processo em PARI não poderia aceder a esta medida). Neste caso, 4% dos que não avançaram foi por este motivo.

Fixação das prestações para combater subidas de juros

A medida foi implementada em contratos com prazo médio de 36 anos e prazo médio remanescente de 29 anos. A redução média da prestação nos contratos de crédito em que esta medida foi implementada foi de 76 euros.

Em novembro passado, face à subida das taxas de juro, o Governo (PS) criou um regime (que esteve em vigor até março deste ano) em que os clientes com crédito à habitação podiam pedir a fixação da prestação do crédito à habitação durante dois anos e por um valor mais baixo que o atual. Durante dois anos a prestação fica indexada a 70% da média da Euribor a seis meses do mês anterior ao pedido do cliente (o que garante que paga menos durante os dois anos do que se a Euribor fosse refletida a 100%). O valor não pago terá de ser pago posteriormente, a que se somam juros.

Bonificação de juros chegou a mais de 20 mil

Quanto à medida de bonificação de juros (uma parte dos juros do crédito à habitação é paga pelo Estado), entre novembro de 2023 e fevereiro de 2024, os bancos receberam 56.855 pedidos de bonificação de juros e beneficiaram da bonificação 20.352 créditos, disse o Banco de Portugal.

Segundo o BdP, a principal razão para não beneficiarem da bonificação dos juros foi que a taxa de esforço do cliente era inferior a 35% (71% dos pedidos recusados), sendo o segundo motivo o rendimento anual do cliente ser superior ao limite máximo definido a lei (4,4% dos pedidos rejeitados). O valor médio da bonificação mensal entre novembro de 2023 e fevereiro de 2024 foi de 62 euros.

Risco de incumprimento dispara

O Relatório de Supervisão Comportamental indica ainda que o número de créditos à habitação em Plano de Ação para o Risco de Incumprimento (PARI) aumentou de forma significativa. O total de contratos integrados em PARI passou de 107 mil em 2022 para 513 mil em 2023.

Segundo o BdP, o aumento justifica-se pela mudança na lei no final de 2022 que forçou os bancos a serem mais proativos na avaliação do risco dos clientes e integrarem créditos em que avaliam algum risco em PARI.

“Neste contexto, 72,5% dos processos PARI iniciados em 2023 enquadraram-se no regime extraordinário estabelecido pelo Decreto-Lei 80-A/2022”, afirma o BdP, acrescentando que as suas ações fiscalizadoras também levaram a “um incremento do número de processos PARI iniciados a partir de setembro”.

Fonte: Lusa

Governo e municípios perto de acordo sobre termo de responsabilidade

Este acordo permitirá às autarquias agilizar medidas de habitação no âmbito do PRR. «Vamos avançar com os contratos», avançou Manuel Castro Almeida.

Impostos

Associação de proprietários lamenta manutenção de IMI agravado para casas devolutas

Agravamento das taxas do IMI para imóveis devolutos e em ruínas é decidido pelas autarquias.

Habitação

Promotores imobiliários congratulam-se com revogação do arrendamento coercivo

O Conselho de Ministros aprovou ontem novas alterações na Habitação.

Leia mais

Governo e municípios perto de acordo sobre termo de responsabilidade

Este acordo permitirá às autarquias agilizar medidas de habitação no âmbito do PRR. «Vamos avançar com os contratos», avançou Manuel Castro Almeida.

Impostos

Associação de proprietários lamenta manutenção de IMI agravado para casas devolutas

Agravamento das taxas do IMI para imóveis devolutos e em ruínas é decidido pelas autarquias.

Habitação

Promotores imobiliários congratulam-se com revogação do arrendamento coercivo

O Conselho de Ministros aprovou ontem novas alterações na Habitação.

Habitação

Fim do arrendamento coercivo e da contribuição extraordinária no AL: novas medidas aprovadas

O Conselho de Ministros aprovou ontem alterações ao pacote Mais Habitação.