Habitação

Assembleia Municipal de Lisboa aprova alterações ao Regulamento Municipal de Habitação

Julho 26, 2023 · 9:53 am
Imagem de Francois Le Nguyen no Unsplash

A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou ontem, por maioria, alterações ao Regulamento Municipal de Habitação, que permitem facilitar e alargar o número de beneficiários do subsídio ao arrendamento acessível.

No momento da votação, a proposta foi divida em sete pontos (votados separadamente), tendo sido o Chega e a Iniciativa Liberal (IL) os únicos partidos a votar contra ou a absterem-se.

PSD, PS, CDS-PP, PAN, PPM, Aliança, MPT, Livre, PCP, BE, PEV e os deputados independentes dos Cidadãos por Lisboa (eleitos nas listas PS/Livre) votaram favoravelmente todos os pontos da proposta.

Proprietários de imóveis a mais de 150km de Lisboa são elegíveis

Em causa está uma proposta para alterações ao Regulamento Municipal do Direito à Habitação, no sentido de “tornar elegíveis ao Subsídio Municipal ao Arrendamento Acessível (SMAA) os proprietários de imóveis sitos a mais de 150 quilómetros do concelho de Lisboa e que aqui residem”, bem como a possibilidade de acumular esta ajuda com o apoio extraordinário às famílias para pagamento da renda e da prestação de contratos de crédito, previsto no decreto-lei n.º 20-B/2023 de 22 de março.

As alterações ao regulamento passam também a permitir que concorram a este subsídio pessoas que residam há menos de cinco anos no município de Lisboa, uma exigência do atual diploma.

Ainda segundo a proposta, o limite máximo do Subsídio Municipal ao Arrendamento Acessível a atribuir “não pode ultrapassar o valor mensal de 300 euros para agregados compostos por um elemento e de 450 euros para agregados com dois ou mais elementos”.

Novas categorias de profissionais abrangidos

No período da discussão da proposta, o vereador Diogo Moura, que esteve presente no plenário em representação do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas (PSD), destacou a importância destas alterações para “melhorar o acesso à habitação”.

O autarca referiu que “com estas alterações torna-se mais amplo o alcance” de quem pode ao aceder ao SMAA, passando a abranger novas categorias de profissionais deslocados, nomeadamente professores e agentes de segurança.

Justificando a oposição a esta proposta, o deputado do Chega Bruno Mascarenhas afirmou que a alteração do regulamento vai permitir “dar apoio a todas as pessoas que queiram vir morar para Lisboa” e “não faz distinção no acesso de cidadãos nacionais e estrangeiros”.

Por seu turno, a deputada da IL Angélique da Teresa criticou o facto de estas alterações permitirem a atribuição deste subsídio a pessoas que vivem noutros concelhos.

Fonte: Lusa

Habitação

Câmara de Lisboa propõe “discriminação positiva” de residentes no acesso à renda acessível

Medida visa beneficiar residentes das freguesias sob maior pressão urbanística.

Habitação

Câmara de Lisboa anuncia mais de 1000 camas para estudantes

Inaugurada residência universitária com 320 camas, mas há vários projetos em curso.

Habitação

Loures vai ter 152 novas casas a custos controlados

O município constrói um projeto de habitação a custos controlados financiado pelo PRR. O montante do investimento ascenderá a cerca de 22 milhões de euros.

Leia mais

Portugal regista 2ª maior subida na produção na construção na UE

Os principais avanços registaram-se em Espanha (8,3%), Portugal (4,4%) e República Checa (3,7%).

Habitação

Câmara de Lisboa propõe “discriminação positiva” de residentes no acesso à renda acessível

Medida visa beneficiar residentes das freguesias sob maior pressão urbanística.

Dinheiro

Preços das casas em Portugal aumentaram 111% desde 2015

O diretor do FMI para a Europa considera que correção dos preços das casas não será repentina.

Impostos

IRS: o que muda nos novos escalões

O Governo alargou o alívio fiscal até ao 8.º escalão.