Habitação

Arquitetos querem acautelar riscos do ‘simplex’ urbanístico

Janeiro 24, 2024 · 5:21 pm
Imagem de Mindandi no Freepik

O bastonário da Ordem dos Arquitetos, Avelino Oliveira, afirmou hoje que a simplificação urbanística “é um bem maior”, mas alertou para a necessidade de serem acautelados os “aspetos críticos e problemáticos” do decreto-lei que reforma os processos urbanísticos.

Em declarações à Lusa, Avelino Oliveira afirmou que o panorama dos licenciamentos urbanísticos era “insustentável” e que o decreto-lei n.º 10/2024, publicado a 08 de janeiro, vai ao encontro das solicitações de diferentes setores de atividade.

Nova lei tem muitos benefícios

“A simplificação administrativa é um bem maior”, realçou, apontando inúmeros benefícios da nova lei, como a simplificação de processos, a definição de prazos e de regras.

O diploma “põe uma regulação num setor que estava muito carente dela”, considerou o bastonário, saudando a introdução da Plataforma Eletrónica dos Procedimentos Urbanísticos e do Código da Construção, que só entrarão em vigor em 2026.

Dizendo não defender um retrocesso nos “avanços” preconizados no diploma, Avelino Oliveira alertou, no entanto, para a necessidade de serem acautelados alguns “aspetos críticos e problemáticos”.

“Se a burocracia excessiva é má, a burocracia nula também pode ser perigosa”, defendeu, notando que no seio deste ‘simplex’ “há um ‘complex’ que tem de ser resolvido”, sobretudo ao nível dos riscos, simplificação e dos custos.

Simplificação excessiva pode aumentar litigância

Para o bastonário, a simplificação em alguns procedimentos poderá provocar “um aumento da litigância” e o surgimento de mais autos, processos e embargos de obras.

“Tão mau quanto a litigância vai ser o acesso ao financiamento”, salientou, notando, que o diploma responde aos grandes investimentos e investimentos de interesse público, mas não às obras de média e pequena escala.

“Há alterações urbanísticas que, não tendo o crivo da entidade licenciadora, os bancos não vão financiar ou, a financiar, vão obrigar a que haja uma revisão do projeto bastante rigorosa e essa revisão vai refletir-se nos custos ao cidadão”, observou.

Responsabilização “muito excessiva”

Já quanto à responsabilização, Avelino Oliveira disse ser “muito excessiva”, defendendo existir uma “desproporcionalidade entre a responsabilização e as consequências” imputadas, não só aos técnicos, mas às entidades licenciadoras e ao cidadão, “que passa a ter de confirmar as certificações do técnico”.

“O Governo criou uma alteração legislativa relativamente à verificação desta matéria, que vai promover, eventualmente, aqueles que pretenderem perverter o sistema”, referiu, lembrando que não deixam de ser necessárias as certificações e habilitações dos técnicos.

O bastonário, que na terça-feira esteve reunido com o Presidente da República para discutir a simplificação legislativa, os estatutos e a regulação da profissão, adiantou à Lusa ser intenção da Ordem dos Arquitetos promover, juntamente com a Ordem dos Engenheiros e com outras entidades ligadas ao setor, “um conjunto de contributos e sugestões” ao diploma.

“Estamos a trabalhar no sentido de agregar uma posição conjunta que possa sugerir a introdução de melhorias ou retirada de questões problemáticas que estão no diploma. Sabemos que a conjuntura política é difícil, mas estamos em crer que a partir de 04 de março alguns problemas possam emergir com maior força”, referiu, dizendo que essa posição será também dada a conhecer a Marcelo Rebelo de Sousa.

A maioria das medidas que alteram as regras do licenciamento entrarão em vigor a 04 de março, mas algumas, como os municípios não apreciarem nem aprovarem projetos (de especialidades) de engenharia ou a eliminação de licenças e autorizações “numa lógica de licenciamento zero”, já estão em vigor desde 01 de janeiro.

Fonte: Lusa

Construção

Simplex do licenciamento: termo de responsabilidade “é insuficiente”

O termo de responsabilidade técnica sem uma convalidação das respetivas ordens pode «aumentar a prevaricação e oportunismo», alertou o bastonário da Ordem dos Engenheiros.

Habitação

O que muda com o Simplex do licenciamento

A medida “simplex” do urbanismo pretende reduzir os custos e prazos de construção de novas habitações.

Construção

Governo aprova diploma que reforma e simplifica licenciamentos

A medida “simplex” do urbanismo pretende reduzir os custos e prazos de construção de novas habitações.

Leia mais

Construção

Reabilitação urbana cresce 2,7% em janeiro

A atividade dos empresários do setor cresceu em janeiro face ao ano anterior.

Decoração

O que nunca fazer em decoração: erros e opções de que te vais arrepender

Como fazer da nossa casa um cenário inspirador!

Créditos

Prestação da casa desce 4 euros para créditos com Euribor a 3 e 6 meses

Redução acontece pelo segundo mês consecutivo.

Construção

Vanguard investe 50 milhões em fábrica de casas em madeira

A nova unidade de produção da fábrica da Kōzōwood Industries terá capacidade para construir estruturas em madeira para três casas por dia.